logo
Duis autem vel eum iriure dolor in hendrerit in vulputate velit esse molestie consequat, vel illum dolore eu feugiat.
BRASÍLIA,  SÃO PAULO E RIO DE JANEIRO
 

Mídias offline ainda funcionam?

Durante muito tempo elas dominaram o mercado de mídia, sendo as únicas opções para aumentar o alcance da marca. Hoje, no entanto, as mídias offline perderam o posto de primeira escolha entre os profissionais de marketing e empresários para uma forma mais dinâmica e eficiente da antiga publicidade.

Mesmo com uma fatia gorda do mercado publicitário, as mídias digitais não acabaram definitivamente com as offline, que, dependendo da sua estratégia, podem gerar bons frutos em uma campanha bem elaborada. Pensando nisso, listamos 5 opções que ainda podem te ajudar a melhorar o desempenho da sua marca.

1- TV
Apesar de já ser possível consumir conteúdo de tv na internet, essa mídia ainda possui um alcance considerável – principalmente quando se fala em tevê aberta -, e, por ter se estabelecido como mídia de massa no século XX, representa, ainda hoje, uma cobertura de quase a totalidade da população. Essa expressividade toda se reflete em alta confiabilidade por parte do telespectador, elevando os custos desse investimento.

2- Rádio
O matador de jornais quase não resistiu ao surgimento da televisão e, como numa jogada de mestre, manteve seus índices de audiência ao se renovar em uma linguagem quase tão dinâmica quanto a da internet, apesar das limitações da plataforma. Essa mesma linguagem alcança milhares de pessoas todos os dias, permitindo a transferência de informações de forma rápida e objetiva. Ao que consta, o rádio ainda é uma excelente opção de mídia offline.

3- Jornal
Não se pode mais dizer que os jornais são totalmente offline. Entre suas versões impressas e digitais, os veículos mais conhecidos ainda têm uma quantidade considerável de assinantes e permitem uma integração plena entre publicidade e informação, como é o caso dos já conhecidos publiposts das plataformas digitais, que tiveram sua origem já nos jornais, ou os espaços dedicados para publicidade do mercado financeiro, dentro das colunas sobre finanças, por exemplo.

4- Folhetos, folders, flyers ou panfletos
De redes de fast food, até supermercados. Essa é uma mídia versátil que permite construir uma comunicação imediata, mas bastante volátil. Estudos apontam que o tempo de impacto desses impressos é inferior a 5 segundos, então esse material provavelmente vai exigir um atrativo além de uma bela arte chamativa. Uma boa sugestão é utilizar esses materiais para veicular cupons de desconto ou coleções de selos para a troca por brindes. Fica a dica: Se você trabalha com varejo, certamente esta é uma opção de mídia offline que não se descarta nem mesmo nos seus piores pesadelos.

5-Revistas
O formato da revista pode parecer obsoleto, mas nenhuma mídia tem o alcance tão nichado dentro das offline. Se você tem um produto voltado para casa, vai facilmente encontrar uma revista com um público específico. Pescaria? Também. Carros? uma dezena de opções, sem sombra de dúvidas. Se o seu público é muito específico, as revistas ainda caem como uma luva em divulgações direcionadas e ainda apresentam bons resultados.

Além disso, de brinde, nenhuma outra mídia offline vai estar dando sopa da sala de espera do dentista ou no salão de beleza por tanto tempo.

Gostou desse conteúdo? Conhece outras boas mídias offline que estão resistindo ao avanço do digital? comente aqui no blog e compartilhe nas redes sociais.


Comente esse Post na G3